quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Cirurgia bariátrica no paciente diabético

Sabe-se que um fator de risco para o diabetes tipo 2 é a obesidade, mas estudos têm indicado que o tratamento da obesidade tem remetido o DM2 na maior parte dos casos. Um dos tratamentos utilizados são as cirurgias. Um importante estudo o Swedish Obesity Study (SOS) comparou os pacientes operados com os não operados e após dois anos, os dados indicaram prevalência de DM de 8% no controle e 1% no grupo operado e após 10 anos, 24% e 7%, respectivamente. (Dados extraídos das diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes).



As cirurgias realizadas são as restritivas, disabsortivas e hormonoincretínicas. E a ação dessas cirurgias nos diabéticos são:
-Restritivas: o efeito dessa cirurgia é a redução de resistência insulínica nos pacientes por causa da perda de peso; mas não há indícios da remissão do DM com a prática desse tipo de cirurgia utilizada no Brasil.
-Disabsortivas: nesse caso ocorre a melhora a sensibilidade à insulina além da perda de peso;
-Hormonoincretínicas: diminuição da grelina (por causa da remoção do fundo do estômago), aumento da sensibilidade à  insulina associada com o aumento funcional das células betas pancreáticas, redução do GIP, aumento do GLP-1 e redução dos níveis de leptina em jejum. Com a maior atividade das células beta e maior sensibilidade insulínica ocorre a reversão do diabetes.

Segundo a SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) a cirurgia bariátrica é indicada sugestivamente a diabéticos tipo 2: com IMC superior a 35; pacientes com menos de 60 anos; diagnosticados recentemente; sem sucesso com outros tratamentos clínicos para a perda de peso; com motivação elevada; e com risco anestésico/ cirúrgico aceitável. Mas é contraindicada para pacientes: com doença arterial coronariana; com nefropatia avançada; com compulsões alimentares; alcoólicos ou usuários de drogas; com baixa motivação; e suporte social inadequado. 











Bibliografia:
Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2009 / Sociedade Brasileira de diabetes. - [3.ed.]. - Itapevi, SP: A. Araújo Silva Farmacèutica, 2009.

Postado por: Daiana Constancio

Nenhum comentário:

Postar um comentário